Você pode ter ouvido pela primeira vez de Jimmy Choo na série Sex & The City. O nome de Choo foi, provavelmente, citado juntamente com muitos outros designers de calçados: Manolo Blahnik, Louboutin, Ferragamo, Chanel, Fendi e Gucci.

Nascido na Malásia em 1961, Chow (através de um erro sua certidão de nascimento consta como Choo) Yeang Keat teve uma educação muito humilde. Ele descende de uma família de sapateiros. Choo já afirmou ter criado o seu primeiro par de sapatos aos onze anos de idade. Surpreendentemente, ele só concluiu seis anos de escola primária, mas terminou os estudos no Colégio Técnico de Cordwainer (atualmente a Escola de Moda de Londres).

Graduou-se em 1983, depois de custear a faculdade trabalhando em serviços de limpeza em uma fábrica de sapatos e servindo mesas.

Calçados femininos de Jimmy Choo

Jimmy Choo. Modelo Lythe

Choo abriu seu primeiro atelier em um prédio de um antigo hospital em Hackney, Londres, em 1988. Seus sapatos eram delicados, feitos à mão tudo e isto chamou a atenção da Vogue Magazine; o que se constituiu em um grande golpe de sorte para Choo. A Vogue apresentou uma matéria de oito páginas com os sapatos de Choo e ele se tornou uma sensação. Uma de suas clientes mais notáveis ​​foi a Princesa Diana, que era dona de vários pares de sapatos confeccionados pessoalmente por Choo. Diana ainda possuía vários modelos do mesmo design, mas em cores diferentes para atender a seu guarda-roupa em variável e mutável.

Choo associou-se a Tamara Mellon, em 1996, para iniciar a Jimmy Choo Ltd, também conhecida como Jimmy Choo Prét-à-Porter. Mellon, filha do criador da linha de tratamento capilar Vidal Sassoon (Tom Yeardye) e era editora de moda para acessórios da Vogue britânica. Ela comandou as operações e Choo fez o que melhor sabia fazer: calçados. Juntos, eles formaram uma parceria de sucesso. O nome de Jimmy Choo rapidamente se tornou conhecido como sinônimo calçados femininos de belos, de luxuosos e muita qualidade.

Boot de Jimmy Choo

Boot de Jimmy Choo

Porém, a sociedade entre Mellon e Choo chegou ao fim por vários motivos. O principal deles foi que Choo era designer, não um fabricante de calçados. Ele tinha orgulho dos tênis que criava e não estava interessado em projetar “linhas” de sapatos. No entanto, Mellon estava, bem como a sobrinha de Choo (Sandra Choi, que nascera em uma pequena ilha ao largo da costa da Inglaterra, mas que fora criada em Hong Kong. Ela veio morar Choo em 1991).

Quando a empresa foi dividida, em 2001, Choo vendeu sua parte para Mellon por 10 milhões de libras. Choi foi trabalhar com Mellon, em vez de seu tio, uma decisão que trouxe muita discórdia para a família. Choi começou a projetar as lucrativas linhas de calçados que Mellon queria e eles se tornaram o must no mundo da moda, sendo vistos em todas as passarelas de Milão e Paris.

A Jimmy Choo Prét-à-Porter manteve o nome de Choo, embora os sapatos tenham deixado de ser feitos pelo próprio Choo.