André Perugia

Antes de Manolo Blahnik, André Perugia foi o primeiro dos designers de calçados das celebridades.

Filho de um sapateiro, Perugia nasceu em Nice, em 1893, e desde muito cedo se revelou um prodígio. Abriu uma sapataria aos 16 anos e criou fama em pouco tempo, inventando novas formas de saltos e de rostos que acabariam por ultrapassar completamente os modelos do seu pai, pela qualidade artística, ousadia e preço.

Entretanto, para Perugia, o dinheiro nunca foi o mais importante. “Nem a mais rica mulher do mundo poderia alguma vez me pagar para lhe fazer uns sapatos feios”, afirmava ele. andre perugiaAndré Perugia transformou esta busca da beleza na aspiração de sua vida, confeccionando por encomenda sapatos e sandálias de pele de cobra em tons de pedras preciosas, camurça púrpura, pelica dourada e pele de lagarto cor de pérola.

As senhoras da sociedade, que freqüentavam a Riviera Francesa durante o inverno, ficavam deslumbradas pelo seu trabalho e pelo próprio Peguria – um homem elegante e refinado. Mas seria ao se associar ao mundialmente famoso Paul Poiret que o seu sucesso acabaria por se firmar. No final da I Guerra Mundial, Poiret contratou o jovem Perugia para desenhar sapatos para as suas coleções. Perugia, que então tinha uma loja no Faubourg St. Honoré, em Paris, aceitou. Entre as suas clientes estavam estrelas das Folies Bergères e atrizes de cinema que buscavam sapatos capazes de reproduzir o esplendor dos palcos. André Perugia não as desapontou.

Transformou o turbante que era a imagem de marca de Josephine Baker em uma sandália de pelica acolchoada e desenhou sapatos de salto alto de renda negra para a Gloria Swanson. Sempre buscando experimentar novos materiais, formas e texturas, Perugia continuou a criar sapatos de uma originalidade surpreendente durante os 50 anos que durou sua associação com I. Miller, primeiro, e depois com Charles Jourdan. Perugia desenhou este sapato fetiche (ao lado) para a lendária estrela parisiense Mistinguett, que literalmente subia às nuvens para cumprimentar os cavalheiros que lhe batiam à porta.

Perugia dizia que “Todas as mulheres dão importância aos seus próprios pés. Estes têm mesmo, para elas, uma elevada importância sexual”. E como tinha a reputação de falar com os seus sapatos, passou a ser considerado um excêntrico e um gênio. No seu livro, From Eve to Rita Hayworth, Perugia afirmava que a melhor maneira de revelar a personalidade de uma mulher era estudar os seus pés. É claro que, se esses pés estivessem calçados com um par de sandálias André Perugia, o observador teria de concluir estar diante de uma mulher que adorava o requinte e o esplendor sem considerar o preço.

Outros mestres do design de calçados:

Roger Vivier

Salvatore Ferragamo

Vivienne Westwood

Manolo Blahnik

Jimmy Choo

Christian Louboutin

Bibliografia: Linda O’Keeffe. Shoes: A Celebration of Pumps, Sandals, Slippers and More. Nova York: 1996. Workman Publishing.